Passadas


Bastam algumas…. pelas ruas históricas de Garibaldi, para conhecer um pouco deste simpático lugar. Fundada por imigrantes italianos em 1870 e conhecida por seus espumantes, a cidade possui um interessante centro histórico preservado… Placas nas paredes de alguns prédios centenários, contam ao passante uma breve história de cada local… É o “Projeto Passadas – a Arquitetura do Olhar” da Secretaria de Turismo local, que montou um roteiro completo para um verdadeiro mergulho na história… Entre um passeio de trem e uma degustação de espumante, vale a pena dar uma “passada”… e apreciar os detalhes e cores destas construções.

Corujas

As personagens do verão….Depois de uma polêmica “do barulho”, pequenas corujas que fazem seu ninho nas dunas do litoral gaúcho, viraram “celebridade”. A situação emblemática vivida por elas, expôs o que vem ocorrendo a alguns anos nesta região: uma maior presença da fauna próximo ao burburinho urbano do veraneio; fruto de anos de projetos, leis e ações, conduzidas por aqueles que defendem o desenvolvimento em harmonia com a natureza. A presença de simpáticas corujas (algo inexistente a algumas décadas atrás) nas agora protegidas dunas da beira da praia (que aliás também servem para proteger as ruas da invasão do mar), acaba por se tornar um novo atrativo para quem passa pelo agitado calçadão de Capão da Canoa. Mas quando passar por elas, dê um alô… tire umas fotos…mas não faça muito barulho para não assustar as crianças…

No caminho da praia

É só subir um morro no caminho…O morro da Borússia oferece a quem se aventurar a subí-lo (de carro é claro) uma bela vista da cidade de Osório e uma parte do litoral norte gaúcho. Infelizmente o local ainda possuí pouca estrutura (ou ainda não fomos no lugar certo??) Mas vale a foto. Além da vista, lá em cima parece haver uma outra vida com uma pequena comunidade e um outro ambiente natural. A subida está indicada e fica às margens da BR101. Em dia de céu claro, procure apreciar com calma as belas formas das nossas lagoas e as longas fileiras de cataventos brancos….

Um Forte

Construído em rochas de granito alaranjado típico da região, o Forte de Santa Tereza (a poucos quilômertros do Chuí) impressiona pela sua imponência e localização no alto de uma coxilha em campo aberto, próximo ao litoral e uma área de preservação. Sua construção foi iniciada por portugueses em 1762, para conter o avanço das tropas espanholas provenientes de Buenos Aires (que neste ano haviam conquistado a então lusitana Colonia Del Sacramento). Mais poderosos na ocasião, os espanhóis o conquistaram e continuaram sua construção a partir de 1763. O tratado de Santo Idelfonso (1777) no entanto, definiu a posse espanhola, estabelecendo-o (jutamente com o forte de São Miguel em Chuy) no hoje território uruguaio.

Passados mais de dois séculos, sua localização continua estratégica, pois fica na beira da estrada que liga Chuí no Brasil ao litoral do Uruguai e sua capital. As instalações e objetos nos mostram tempos de batalhas e conquistas, no vai e vém de fronteiras em tempos menos pacíficos. Criado para controlar passagens de tropas inimigas, hoje apenas observa batalhões de turistas que fogem para a praia nos tempos de calor ou enfrentam a guerra por bons preços na zona de livre comércio da fronteira. Mas o viajante mais atento, não pode deixar de dar uma parada e apreciar a natureza, a história…e a paz do lugar.

Flores em Colonia

Experiência fantástica é caminhar nas seculares ruas do centro histórico de Colonia Del Sacramento no verão. As flores ladeando os característicos lampiões amarelos dão um brilho especial a construções com mais de 300 anos de história. Fundada por portugueses, foi importante ponto de disputa destes com os espanhóis entre os anos de 1680 e 1777, quando finalmente ficou sob domínio espanhol, em troca das Missões Jesuíticas do Alto Uruguai. Suas ruelas repletas de restaurantes, atelieres de arte e históricas pousadas são um convite a longas caminhadas, a visitar seus pequenos mas interassantes museus… ou sentar a mesa e apreciar seu belo anoitecer.

Enfim, natureza… história… turismo, mas também um estado de espírito.

Punta Del Este – Un puerto uruguayo


Onde tem costa marítima (e fluvial) tem porto…e barcos. Uma caminhada no porto de Punta Del Este em um fim de tarde, conduz a um interessante mundo dos mares. A península onde está localizado, é também ponto de restaurantes, lojas e muito movimento. Mas uma esticada um pouquinho mais para “la punta” reserva um um cenário tranquilo com casas simpáticas, um farol e uma igreja azul. Em Punta, um olhar mais atento revela cenários variados…e surpreendentes.

Un Faro

Faróis (ou Faros, como se diz em espanhol) são um das atrações do litoral uruguaio. Impotantíssimos no passado para orientação de navegantes, se transformaram em símbolos de uma era e hoje emprestam seu charme a paisagem. Em Jose Ignacio, um pequeno balneário perto da badalada Punta del Este, encontra-se este construído em 1877 na ponta rochosa da península. Tendo no seu nome uma homenagem a um morador dos tempos da conquista espanola, a praia é recheada de bons restaurantes, mas conserva um ar tranquilo que convidam ao descanso e a contemplação… Como faziam os antigos navegantes nas noites em que observavam as estrelas… e aquela luz piscante a indicar-lhes o caminho do litoral.