Um passeio para a volta

 Muitas famílias estão voltando das férias escolares do meio do ano, para entrar na eterna roda viva da rotina. Mas pra quem pegou a estrada de carro, sair de um destino de lazer pode ser um epílogo especial da viajem. Aos muitos que subiram a serra, voltar por caminhos alternativos, pode ser um desfecho inesperado para quem pensava que tudo já termina quando o porta-malas cheio é fechado. Apreciar com calma as montanhas iluminadas pelo sol da tarde do Vale do Quilombo em Gramado é a pedida para os que optam por esta descida diferente, que além de desviar do trânsito principal, fornece panoramas surpreendentes. Que convidam a voltar a novamente percorrer os encantadores destinos do sul…


Rede de museus da imigração germânica

Neste fim de mês que se comemora a chegada dos primeiros imigrantes em São Leopoldo, a notícia da formação da Rede de Museus e Entidades de Memória da Imigração Germânica voltados a este tema, tem de ser celebrada. Museus históricos ainda carecem com a falta de recursos e de conhecimento do grande público. Mas como viemos mostrando como podemos por aqui, eles tem muito a nos dizer. E tem alguns por aí… Este grupo liderado pelo Museu Histórico Visconde de São Leopoldo, conta com 14 entidades espalhadas por municípios que possuem uma história vinculada a esta etnia. Mas o que é mais óbvio nestes novos tempos conectados é que a complementação virtual de lugares existentes “fisicamente”, precisa existir. E nesse espaço quase sem limites esta união pode ser transformado em uma interessante soma. Ou até mesmo uma multiplicação de informação, conhecimento e divulgação, onde o resultado pode ser muito melhor. A interação com as redes sociais então, pode conferir outra dimensão inclusive na busca de acervo. E a expansão nas visualizações eletrônicas na palma das mãos de modernos internautas, pode gerar mais visitas e vivências reais nas unidades espalhadas pela região. A expectativa é grande. Para um verdadeira revolução, nesta incrível jornada que começou a 193 anos atrás…

Para estar ao par do que ocorre com esta rede basta acessar o seu blog ou curtir sua página no Facebook

 

 

 

Reserve seu HOTEL, clicando na figura abaixo para ser direcionado para o site:

27c8d1832de6a3123b6ee45b59ae2f81b0d9d0d0

 

O tradicional Lago Negro de Gramado

Simbólico e ainda pujante. Este charmoso continho da agitada cidade da serra gaúcha segue atraindo grandes levas de turistas, encantados com suas belezas. A paisagem do entorno com sua vegetação exuberante, combinada com o bem cuidado passeio ao seu redor, oferecem uma opção gratuita de lazer. O caminho que o margeia é todo calçado acompanhado de belas luminárias, convidando a uma caminhada sem pressa apreciando os pequenos pedalinhos em forma de cisne a vagar por suas águas. Aos que querem fazer este outro exercício, é preciso enfrentar fila em dias movimentados e desembolsar R$ 30 (ou 40 para os barcos maiores em forma de navio de pirata). Mas é claro que vale a experiência e a diversão é recomendada a todos.


Tem muitos outros passeios pra ti em Gramado e toda a região, que tu podes comprar neste link aqui.


Tudo começou em São Leopoldo


Foi em um dia 25 de julho como hoje, que 39 imigrantes germânicos finalmente chegaram às margens do Rio dos Sinos, para fundar não somente esta cidade, mas uma verdadeira nação. Corajosos homens e mulheres, que ousaram em 1824 atravessar o oceano para buscar uma nova vida em mundo diferente, se depararam com um ambiente rústico e muito selvagem. Que foi sendo transformado pelos machados que derrubaram matas virgens, pelo tramar das madeiras para construção das primeiras casas, e pela determinação dos que nunca desistem de seus sonhos. E vieram as plantações, as criações de animais, as igrejas e as escolas. E as novas gerações. Formaram-se as vilas, e as picadas e estradas por onde saíam os frutos da terra, comercializados com os gaúchos e outros colonos. A comida na mesa passou a ser mais farta, alimentando famílias cada vez mais numerosas; e o conhecimento, a disciplina e a criatividade geraram a indústria com suas inevitáveis mudanças. Hoje, a grande saga iniciada há quase dois séculos atrás, ainda está viva nos olho e cabelos claros dos descendentes daqueles pioneiros, nestes novos tempos conectados.  E eles relembram a cada inverno o ponto de partida nas margens do simbólico rio…

“O solavanco do barco encalhando na margem lhe deu um pequeno susto. Não podia acreditar. Chegaram. Não conteve as lágrimas, e desandou em um choro infantil. O marido, ao seu lado, lhe abraçou de forma suave afagando seus longos cabelos claros, mas não conseguiu dizer nada. Seu olhar era fixo naquela terra. Sua nova terra. Haviam chegado a Colônia de São Leopoldo.”

Um parque do imigrante. Em Lajeado.


Por que a imigração alemã está devidamente homenageada não só nos grandes centros turísticos do sul. Já falamos da aldeia do imigrante em Nova Petrópolis, pertinho de Gramado. Mas como este local da serra, o parque desta bela cidade do Vale do Taquari reproduz em um amplo espaço, uma vila formada pelos pioneiros germânicos. Neste próximo dia 25 comemorasse a chegada dos primeiros imigrantes desta origem, e nada melhor do que caminhar entre as casas erguidas na técnica enxaimel, para sentir o ambiente de sonhos, dos primeiros anos deste destemido e disciplinado grupo de famílias na América. São mais de uma dezena de casas a formar um cenário que leva o visitante a um mundo diferente. De simplicidade e trabalho, que foi o alicerce de uma região rica e próspera. Duas delas são ocupadas por museus, e outras são de uso de associações comunitárias e círculos literários. E ainda há espaço para mais. Empreendimentos gastronômicos ainda não se assentaram por lá, nem um comércio voltado ao turista. Mas mesmo assim vale muito a visita, que é gratuita, para conhecer um pouco mais desta cultura, ou mesmo para aproveitar o seu agradável espaço em meio ao verde. Um lugar que pode muito mais…


A bela vista da subida pra serra

Que fica na cidade de Morro Reuter, no Mirante Felskopf  (cabeça de rocha em alemão). É do alto de seus 700 metros acima do nível do mar que se tem uma vista total desta cidade de origem alemã logo ali abaixo, e muito mais. A visão de 180 graus descortina uma paisagem de norte a sul, onde as montanhas da serra na direção de Nova Petrópolis ficam a esquerda de quem olha para o nascente. Nessa direção está, a 14 Km de distância, o Morro Ferrabraz, com uma vista igualmente fantástica e que já foi mostrada nesta outra postagem aqui. Girando ao sul, fica fácil ver também por inteiro, a cidade de Dois irmãos e os dois morros que lhe dão o nome, e logo ali atrás as duas faixas de altos prédios de Novo Hamburgo e São Leopoldo. Porto Alegre, a 57 Km em linha reta precisa de dias bem claro para ser apreciada. A estrutura do lugar é modesta com uma plataforma de concreto, devidamente cercada. Mas bem que poderia ter umas lunetas, um mapa indicando as cidades que são vistas, um restaurante… Quem sabe um dia… De qualquer forma, vale uma parada para  uma selfie voando sobre as cidades, ou mesmo para simplesmente respirar fundo e ver a grandeza do mundo em que vivemos…
Além das fotos tu podes conferir um vídeo no nosso canal do youtube neste link aqui.

Reserve seu HOTEL, clicando na figura abaixo para ser direcionado para o site:

27c8d1832de6a3123b6ee45b59ae2f81b0d9d0d0

 

O espetáculo branco da geada

E mais uma vez o frio veio forte a ponto congelar os campos do sul. O orvalho formado ao longo da noite não resistiu às temperaturas próximas de zero graus se transformando em pequenos cristais de gelo. O fenômeno não tão comum atingiu mesmo os que moram em altitudes mais baixas como a Grande Porto Alegre. Os arrozais de Esteio, ali mesmo atrás do parque da Expointer, receberam os primeiros raios de sol de uma belíssima manhã, cobertos de branco. A geada deste julho até então um pouco quente, atingiu várias cidades proporcionando um espetáculo de rara beleza, que encanta a todos. Mesmo sabendo que o frio traz sempre os seus desconfortos e dificuldades…