Do alto da casa do poeta

A Casa de Cultura Mário Quintana é sem nenhuma dúvida um dos lugares mais incríveis de Porto Alegre. O antigo Hotel Majestic que foi morada do surpreendente poeta que dá nome a atual atividade, é um construção única no centro histórico da capital, cuja arquitetura é uma atração à parte. Mas é em seu último andar onde as mais belas vistas podem ser apreciadas, incluindo as das características cúpulas arredondadas… São duas nas extremidades do prédio, sendo uma delas ocupada por um café. É lá no alto também, que um simpático jardim que homenageia o ecologista José Lutzemberguer presenteia com seu especial ambiente aqueles que caminham por seus corredores, na tentativa de conhecer todas as entranhas do local. Espaço utilizado para contemplação, pequenas reuniões ou simples descanso, permite ainda a visão por interessante ângulo, da Igreja das Dores que dali não fica muito longe. Mas é claro que esta casa rosada gaúcha não se resume à sua beleza, e as intensas atividades culturais são a atração principal e motivo de sua existência. Mas sua arquitetura única é um caso para ser apreciado em toda a sua intensidade. É claro que falaremos e mostramos mais…

Cascatas do Ecoparque (3) – Escondida


Esta é menor de todas e sua singeleza, ainda mais com pouco volume de água, é o seu real encanto. Neste lugar incrível de Gramado, o arroio Cristal parece descer de forma suave sobre a pedra, como se acariciasse…  Já falamos da Cascata do Trombão e da Cascata do Poço, faltando ainda a da Usina, que completa esta série sobre o Ecoparque Sperry. Um lugar para percorrer trilhas e desvendar toda uma natureza exuberante, que parece surpreender a todo o momento. E ainda tem mais, muito mais…


Capelas no meio dos vinhos

No Vale dos Vinhedos, tem muito mais do que uvas, parrerais e vinícolas. Passear pelas íngremes montanhas desta região encantadora de Bento Gonçalves é se deparar com paisagens de encher os olhos, e inspirar o coração.  E mesmo para os que não são adeptos da fé religiosa, não tem como não observar e admirar as simpáticas e belas capelas, que enfeitam os caminhos dos bons vinhos gaúchos. Nas imagens, a da Pompéia, a das Graças, a das Almas e a das Neves, já dão uma ideia do que espera o visitante. E os pequenos oratórios conhecidos como capitéis são um belo complemento no mesmo estilo sagrado, dessas e de outras igrejas das redondezas. Mas a ligação de uma delas com o vinho não fica só na referência ao sangue de Jesus, das missas dominicais. A construção da Capela das Neves foi feita com a apreciada bebida no lugar da água que faltou em uma seca, como já contamos neste espaço e que tu podes conferir aqui. O cenário romântico, entretanto é garantido com o simples observar de suas formas, suas cores e o seu entorno. E também com a compreensão de que o amor sincero é a principal mensagem que vem de dentro delas…

Primeiros sinais do frio…

De manhã no sul, na beira da estrada a cerração (ou neblina como se diz em outras terras) começa a pedir licença, avisando que o inverno não tarda. Ainda tem muito a mostrar dos encantos do outono, mas a fria estação tão atraente por aqui, já vem dando as caras. O cenário das modernas estruturas de energia ajuda na composição da paisagem, presenteando os que saem cedo. Este lugar em Canoas do lado da capital tem ao longo das estações, fornecido belas imagens aos que escolhem a Rodovia do Parque para sua jornada. E temos presenciado cenas incríveis que não podemos deixar de compartilhar. Repetiremos a dose, com novos fenômenos metereológicos, novas luzes e olhares, sobre este lugar em especial. Isto por ele ser um ponto de partida para norte e noroeste do Rio Grande do Sul, e por óbvio, nosso caminho rotineiro. Mas é claro que as surpresas e as belas paisagens estão também em outras estradas. Comprovando que a ida e vinda, pode por vezes ser a melhor parte de uma viajem. Mostraremos mais… Muito mais…

Cascatas do Ecoparque (2) – Poço


Seguindo nas andanças do Ecoparque Sperry de Gramado, uma das cascatas interessantes é a o do Poço. Sua queda é pequena mas forma um lago em que as águas podem variar de tons azulados e esverdeados. O arroio quilombo neste trecho desliza sobre um leito largo e despenca de forma longitudinal no poço. Na sequência, segue serpenteando a mata em meio a pedras maiores, até chegar a próxima cachoeira, que também é acessada por meio de trilhas. Já falamos da Cascata do Trombão, e ainda mostraremos mais outras duas… Por que tu sabes que este lugares incríveis tu vês sempre aqui… 

A moradia dos antigos desgarrados no campo



Que tu podes ver no Parque Gaúcho em Gramado, um lugar fantástico para conhecer como se protegiam da intempérie os primeiros habitantes do imenso deserto verde do pampa. As casas de diversos tipos relacionados a períodos superiores há 200 anos, estão reproduzidas em lugar bem estruturado e fechado, que protege os visitantes modernos. A mistura de índios e de portugueses pioneiros, principal gênese da figura do gaúcho que vagava pelos campos sem fim de forma livre e independente, sobrevivia como podia e com o que a natureza lhe dava. Principalmente com o gado que se espalhou como resultado do dramático fim das missões jesuíticas, uma história a parte…  Era do couro deste gado que muitos construíram rústicas casas que mais parecem cabanas para que pudessem se abrigar da chuva e do frio. O barro e a palha também podiam ser usados para se juntar a galhos de taquara ou bambus, que formavam paredes mais verticais e estruturas maiores. Uma pequena capela de tijolos e outros ambientes que mostram a figura deste homem com o seu chimarrão e seu churrasco, completam o conjunto desta brilhante exposição. Mas o parque ainda tem muito mais história e diversão. Há outro ambiente com muito mais peças e maquetes que contam a história do sul, e também uma arena para doma de cavalos, e passeio de pôneis, e restaurante…. Que ficam para muitas outras postagens…


O parque é único e por isso valorizamos e divulgamos ele, mas também temos parceria na venda de ingressos para esta bela atração e o zoológico. Lembrando que cada ingresso custa R$ 54,00,  mas se comprares os dois sai por R$ 55,08. Um belo desconto! Para adquirir por este preço (o mesmo do site deles e da bilheteria), basta clicar aqui. Tu serás direcionado para um site seguro, e nós ganharemos comissão. 


A intolerância aos pés do Morro Ferrabraz


De grupos religiosos e suas crenças no século XIX… A marcante história da batalha final entre o exército do império brasileiro e um grupo de colonos alemães em 1874, é um assunto deveras delicado da saga da imigração no sul. Um casal que prometia remédios e palavras para a cura de colonos desassistidos, talvez pela distância dos grandes centros, começou a fazer sucesso no século XIX na região do Ferrabraz. As poções do marido eram complementadas pelas palavras da liderança espiritual de Jacobina Maurer, e seus rompantes de paranormalidade segundo vários relatos. Teatro? Poderes extraordinários? Fanatismo? Força mental? Difícil dizer, não só pela distância do tempo, mas também pela polêmica… O fato é que os seguidores foram aumentando a cada dia, gerando preocupações na ordem vigente. Aos poucos os que buscavam a cura para algum mal junto ao grupo, eram questionados e confrontados, sobre a eficácia e os métodos alternativos de melhoria física e mental a que se sujeitavam. E as divergências foram aumentando sua força, virando farpas e rusgas… E no arrastar dos acontecimentos, lares e amizades começaram a ser desfeitos, com ida de muitos para residir perto de quem lhes dava esperança. A perda destes fiéis alertou as igrejas católica e luterana, que se juntaram para tomar providências contra este novo, temeroso e misterioso concorrente. Que ousava interpretar as sagradas palavras ao seu modo… Autoridades foram acionadas, julgamentos foram realizados, mas a força da liderança desta forte mulher sobreviveu. Perseguição? Cuidado e zelo com a ordem? Busca da paz social? Mais uma vez difícil dizer olhando de uma janela com mais de 140 anos… Fato é que o ódio havia crescido e o radicalismo já estava formado. E os cidadãos que antes viviam em uma comunidade isolada, mas pacífica começaram a usar as armas que abatiam o alimento em caçadas, para derrubar o inimigo em confrontos isolados. E antes que a guerra se instaurasse sem controle, tropas imperiais sob o comando do Coronel Genuíno Sampaio foram chamadas para o confronto final. Depois de perderem o primeiro embate, voltaram com reforços e terminaram com a festa. Era o fim dos Muckers, e da vida de sua líder e alguns seguidores, bem como de soldados e de seu comandante. Perderam todos os que tombaram, e os que ficaram ganharam além da vida, a triste, mas relevante história. Que tem muito a nos ensinar…