O Museu de Porto Alegre

IMG_0365.JPG

É o principal dedicado a capital gaúcha, e leva o nome de Joaquim José Felizardo criador da Secretaria Municipal de Cultura. E fica em um lugar repleto de história. A casa foi erguida entre as décadas de 1840 e 1850, por Lopo Gonçalves para ser sede de sua propriedade rural que se estendia por boa parte do que hoje é o bairro Cidade Baixa. Mas em meados do século XX, foi adquirida por José Albano Volkmer que instalou ali, uma fábrica de velas que funcionou até a década de 60. E antes de ser transformada em museu em 1982, ainda abrigou o Serviço de Assistência e Seguro Social dos Economiários. Suas salas contam além da trajetória do prédio, toda a saga de uma cidade que começou com uma modesta vila açoriana, e se transformou na metrópole que conhecemos hoje. Estão lá, vários objetos que mostram a vida doméstica de séculos passados, incluindo-se o legado dos escravos de origem africana, e até mesmo achados arqueológicos de comunidades indígenas que vagavam por esta região. Os espaços para exposições temporárias, e uma grande área externa onde se realizam eventos periódicos, completam este lugar incrível que tem muito a ensinar…

IMG_0311

IMG_0339

IMG_0314

IMG_0332

IMG_0333

IMG_0380

IMG_0405

IMG_0376

Se tu quiseres, tu podes vir conosco! Nós temos passeios especiais te esperando. Basta escolher um deles neste link aqui.

Três lugares incríveis de Caxias do Sul

DSC01998

DSC02057

DSC01934

Lugares com uma história única e que nos diz muito. As pinturas das paredes da Igreja de San Pelegrino executadas pelo italiano Aldo Locatelli, são de uma riqueza impressionante. Suas figuras humanas, celestiais e até demoníacas impressionam até mesmo os que tem pouca ou nenhuma fé religiosa. Principalmente a cena do juízo final, em mosaico amplo no tento da nave principal. O Museu Ambiência Casa de Pedra, não muito longe dali, é outro local onde se pode presenciar um pouco da energia desta grande cidade da serra gaúcha. Lá, uma série de objetos e móveis ajudam a contar com ricos detalhes, a saga da imigração italiana na região. A própria construção, erguida com pedras retiradas de um arroio, foi moradia desde os primeiros tempos da colonização. Mas é um pouco afastado da região urbana principal no distrito de Galópolis, é que se pode presenciar um interessante testemunho de uma história peculiar. A Vila Operária erguida ao melhor estilo inglês, centraliza esta comunidade encravada em íngremes montanhas, que se desenvolveu ao redor de uma tecelagem. Fundada por uma cooperativa formada por ex-grevistas italianos que foram deportados para a América do Sul, a empresa possui uma longa história. E um dos capítulos dela, foi protagonizada por Hércules Galló que mandou construir as casas, para facilitar a moradia daqueles que vinham da cidade. O nome da comunidade é uma homenagem a este corajoso empreendedor. Estes três exemplos de determinação, trabalho, fé e cultura, podem ser visitados em um passeio que faremos no próximo dia 15 de agosto. Abaixo, seguem links de outras postagens nossas onde podes conhecer um pouco mais de cada um destes lugares. Para mais informações sobre este e outros passeios, tu pode nos contatar pelo e-mail destinosdosul@gmail.com ou no whatsapp 51 99951 2309. Vamos juntos?

Igreja de San Pellegrino e suas impressionantes pinturas

A Casa de Pedra de Caxias do Sul

A saga de Galópolis: Parte 1 – Grevistas de Schio

A saga de Galópolis: Parte 2 – A vila operária