Ilópolis para o mundo

É o que está acontecendo com o vanguardista Museu do Pão em Ilópolis na região central do estado. Esta miragem, como disse a Rosane em seu blog (leia aqui), vem sendo destaque em vários meios de comunicação até do exterior. O museu localizado em um velho moinho restaurado, conta a história da fabricação do pão além de oferecer oficinas. E tudo isso em uma cidade de dez mil habitantes. Mais uma mostra que com vontade e dedicação podemos fazer muito pelo turismo. Seja para mostrar nossas belezas naturais, seja para enaltecer uma cultura, ou simplesmente valorizar um produto como o pão. Que é algo comum em todo o mundo, mas que ganhou destaque ali no vale do taquari. E chamou a atenção do dito primeiro mundo. Se essa moda pega…. 

Garapiá. E as cavernas.

É o nome de uma cascata em Maquiné…. Mais uma que falta conferir ao vivo. Já conhecemos outras na região e em outras partes do estado, fazendo algumas postagens aqui como se pode conferir ao colocar a palavra cascata na busca aí de cima. Uma boa pedida para os últimos dias de verão, ou começo do outono, como bem frisou a matéria do Correio http://www.correiodopovo.com.br/Noticias/?Noticia=399120 . Aliás, uma matéria bem escrita e convidativa a conhecer o lugar, como sempre procuramos fazer também. O jornal, assim como outros veículos do estado, tem procurado mostrar com mais frequência as infindáveis belezas desta região. Mas a matéria também fala que a área só é bem preservada por que o acesso é difícil. Bem… Quem divulga quer que os outros conheçam o lugar. Certo?Quanto mais divulgado for, mais pessoas irão. Mas com mais pessoas, o lugar pode ficar poluído e perder o seu encanto… Será? Ou pode receber mais estrutura para que seja apreciado por mais visitantes? Afinal o que é mais importante? Porque tudo isso? Respondo: Por que nós queremos…. Eu que escrevo, você que lê. Nós queremos viver, e viver bem. Por isso precisamos da água limpa e ar puro. E precisamos preservar para ter saúde. Mas também para obter os recursos de que precisamos na vida moderna (ninguém vai voltar para as cavernas no mês que vem ou no ano que vem). Para que possamos andar pelo mundo e apreciar as suas belezas, mesmo sabendo o impacto que isso possa causar. Portanto, se é bonito e nós gostamos, vamos lá. Vamos aproveitar o que temos. Vai causar impacto. Vai. De qualquer jeito. Então, vamos com cuidado, vamos combinar de aproveitar sem estragar, de construir tentando não agredir muito. É difícil. É. Mas também foi difícil, sair das cavernas e chegar na Internet.