O Salto Ventoso de Farroupilha

Uma bela pedida para os apaixonados. Se beijar atrás da cortina d’água desta bela a impactante cascata, e se sentir literalmente em um filme romântico. Afinal foi isso que os personagens do filme O Quatrilho fizeram na década de 90. O parque foi reformado no em 2016 para tornar mais segura esta aventura amorosa, ou mesmo uma singela apreciação. Uma moderna passarela para fazer esta travessia, substituiu o caminho natural de até bem pouco tempo. Para entrar no parque é cobrado ingresso, e as corredeiras antes da queda convidam a um bom banho nos meses de calor. Mas perto dali um mirante de acesso gratuito, permite a apreciação de frente para a queda. Um lugar tão impressionante, que foi parar na tela do cinema. Aliás, como tu podes ver por aqui, magníficos cenários dignos de grandes produções artísticas, é o que não falta no sul… Cenários que convidam a voltar várias vezes. É o que faremos com este lugar, para montarmos um vídeo especial pra ti…

 

 

Reserve seu HOTEL, clicando na figura abaixo para ser direcionado para o site:

27c8d1832de6a3123b6ee45b59ae2f81b0d9d0d0

As estátuas dos rios gaúchos

 
 
A curva e a força. O Sinos e o Caí com suas voltas, e o Gravataí e o Jacuí com seu volume… Todos estes quatro rios que deságuam no Guaíba, estão representados na suavidade das Ninfas e na seriedade dos dois Netunos. As quatro estátuas detalhadamente esculpidas mármore em 1866 pelo italiano José Obino, representam ao seu modo estas verdadeiras veias do Rio Grande do Sul. Tendo-se perdido alguns braços ou narizes ao longo de sua tumultuada história, foram construídas para ser a fonte de água de Porto Alegre em plena Praça da Matriz, onde mataram a sede de muitos até 1907. Substituídas pelo monumento à Jullio de Castilhos, foram esquecidas por quase três décadas em um depósito até iram para a praça Dom Sebastião, observar gerações de alunos do Colégio Rosário, crescerem ao seu redor. Mais mudanças, e as fontes neste novo século voltaram a ficar perto das suas origens.  Hoje enfeitam um chafariz, da praça próxima a uma estação de tratamento de águas da cidade, no bairro Moinhos de Vento. As águas que banham a capital gaúcha, seja de um rio ou de um lago, estariam supostamente representadas pela estátua de uma criança, talvez fruto desta relação de deuses das mitologias grega e romana. Mas esta parece que se perdeu com o tempo, e ninguém sabe onde está…
 

 

Reserve seu HOTEL, clicando na figura abaixo para ser direcionado para o site:

27c8d1832de6a3123b6ee45b59ae2f81b0d9d0d0

 

Um passo do inferno


Em outros tempos, tropeiros e suas mulas e cargas, singravam campos entre o sul e o centro de um país ainda selvagem e carente de caminhos mais formais. Os passos, ou locais de passagem em um curso d, água, eram até o começo do século XX, a solução para a transposição de rios. E as agruras de se atravessar um fileira de homens e animais, muitas vezes acabava em perdas e tragédias. Talvez seja por isso que no começo do Rio Santa Cruz entre Canela e São Francisco de Paula, um lugar no limite entre a serra e os campos de cima da serra, tenha sido nomeado como Passo do Inferno. Mas a coragem desprendida na necessária travessia para dar seguimento o transporte e o comércio entre regiões distantes, resistiu por muitos anos ao temido ambiente. E a compensação por tantas perdas acabou por vir com a construção em 1933 e 1934, da ponte de ferro que trouxe a modernidade para a região. E o local escolhido acabou conjugando a praticidade com a beleza da cascata, facilmente avistada por os que atravessam a ainda firme estrutura. Um lugar incrível, que foi inclusive cenário de produções artísticas…



O museu na antiga Casa da Neni


Fica ali em Antônio Prado na Serra Gaúcha, esta preciosidade. De madeira como eram as casas dos primeiros colonos italianos da região, e com os característicos lambrequins a enfeitar a borda do telhado, ela possui uma história centenária. Sua construção data de 1910 e abrigou nos anos iniciais uma ourivesaria, de propriedade de Antônio Bocchese que residia no segundo andar. O tempo passou e o comércio seguiu com a lojinha da filha Joana, conhecida por Neni, que vendia de tudo um pouco incluindo artigos religiosos. E com direito a propaganda do padre a cada missa na igreja, que como a casa, fica de frente para a praça central da cidade. O belo prédio com sua coloração caramelo foi o primeiro a ser tombado, de um conjunto de mais de 40 casas preservadas da mesma época, espalhadas nas ruas principais. Mas é na Casa da Neni que o Museu Municipal mostra um pouco da fascinante história dos imigrantes italianos, que corajosamente subiram a serra a partir do século XIX. No primeiro ambiente, a réplica da antiga loja já conduz o visitante a outro mundo ao se deparar com os armários e balcões de madeira escura, repletos de objetos vendidos em outras épocas. E do outro lado do balcão, abre-se o restante da casa, com seus ambientes com mais objetos, incluindo até mesmo pedaços de lambrequins que podem ser apreciados mais de perto. As carteiras onde sentavam os estudantes das escolas pioneiras são a atração principal do segundo andar de um espaço, que ainda mostra um forno de barro no pátio dos fundos. Um lugar realmente incrível. Ideal para uma volta ao tempo dos nossos avós…


Antigas Estações de Trem – Amarópolis

Que fica em Santa Amaro, interessante sítio histórico às margens do Rio Jacuí. Construída em 1883, possui belos traços arquitetônicos e foi importante para o desenvolvimento desta localidade, hoje um pouco à margem das modernidades. Fazia parte da linha que vinha de Rio Pardo servia junto com o transporte fluvial, aos que queriam chegar a Porto Alegre. Mas veio uma nova linha com uma ponte sobre o Rio Taquari e o trecho foi desativado, ficando a estação e a comunidade relegada a um segundo plano. Até mesmo a sede do município passou para General Câmara, pois lá foi instalado um quartel do exército e um novo terminal ferroviário. E o passado ficou então preservado não só na Estação Amarópolis, que chegou a sedia um restaurante no começo deste século, mas em um belo conjunto de casas em estio açoriano e uma igreja de 160 anos… Um lugar incrível que merece mais…

Livros no Parque

Não é só na Praça da Alfândega, onde eles estão à venda neste novembro, é que se pode encontrar boa literatura infantil em Porto Alegre. No Parque Moinhos de Vento uma biblioteca convida os pequenos a leitura e atividades lúdicas, debaixo da sombra de suas árvores. Este lugar incrível que combina cultura e natureza está comemorando 34 anos na mesma época que o famoso e intensamente frequentado parque celebra seus 45. Com o nome da escritora infantil Maria Dinorah, empresta livros para a comunidade diariamente incluindo sábados pela manhã e ocupa uma pequena cabana próxima ao um lago com patos. Ficar lendo, ou passear nas árvores? Não dá para fazer os dois quase juntos? Na capital gaúcha parece que dá… Há outras assim em outros lugares, ou é algo inédito? Fica pergunta que pode ser respondida pelos que leem estas palavras…

A Cascata dos Índios e sua gruta

 
Que na realidade é chamada de grutão… São 50 metros de largura por 10 de altura, desta impressionante formação natural, em Santa Lúcia do Piaí distrito de Caxias do Sul. A cascata formada por uma lâmina d’água que alimenta o lago ao lado, completa o belo cenário convidativo ao banho de verão. Para chegar até o local, o visitante é presenteado com uma caminhada não muito longa por uma faixa gramada, que acompanha o riacho formador da queda. Mas para descer próximo ao espetáculo principal, é preciso se encorajar por uma trilha curta, mas um tanto quanto íngreme. Nada que um bom uso cauteloso dos dois braços não resolva. A paz deste duplo espetáculo da natureza compensa. 
 

 

 

Reserve seu HOTEL, clicando na figura abaixo para ser direcionado para o site:

27c8d1832de6a3123b6ee45b59ae2f81b0d9d0d0