Estações da Maria Fumaça – II Garibaldi

Em uma série de três postagens, vamos trazer pra ti o encanto das antigas estações de trem da serra, por onde passa uma velha Maria Fumaça. Garibaldi fica no meio do caminho onde o trem faz uma parada regada a espumantes e vinhos da cidade, além de muita música regional.  Construída em1918 está situada em um ambiente amplo transformado em parque de lazer, com localização privilegiada. Pois aproveitando a topografia acidentada da região, pode-se vislumbrar uma bela vista da cidade. Principalmente de dentro dos vagões quando se sai em direção a Bento Gonçalves pelos trilhos. É em Garibaldi também que ficavam, junto à estação, as oficinas que reparavam os trens que circularam por ali de forma regular até os anos 70. A linha turística que existe desde 1993 resgatou uma ideia de 1978, de usar os velhos trens somente como lazer. Mas na época o trecho ia até um lugar chamado Jaboticaba nas proximidades do Rio das Antas, formando a ferrovia da uva. Uma história que tu ainda verás por aqui… 
Para viajar no embalo deste trem, tu podes comprar o passeio neste link aqui.


Torres e árvores do sul – III Veranópolis


Uma série com 4 postagens com torres de igrejas de uma parte da serra gaúcha, acompanhadas de árvores floridas para a primavera, depenadas com o fim do inverno, ou mesmo somente com suas folhas verdes e formas singulares. A Matriz São Luiz Gonzaga não teve vida fácil na sua construção em demorados 23 anos, até sua conclusão em 1933. Mas suas duas torres em estilo gótico se impõe nesta pujante cidade serrana. Os ipês rosa lhe fazem companhia assim como a galhada fina de árvore que em outras épocas se preenche com belas e únicas folhas embranquecidas… A praça que lhe faz companhia não poderia deixar de ter uma academia da melhor idade ao ar livre. Nada mais adequado para a cidade considerada a campeã da longevidade…

Estações da Maria Fumaça – I Bento Gonçalves


Em uma série de três postagens, vamos trazer pra ti o encanto das antigas estações de trem das da serra, por onde passa uma velha Maria Fumaça. Bento Gonçalves é a maior das três cidades (Garibaldi e Carlos Barbosa são as outras duas) por onde passa o trem turístico que envolve os passageiros, na atmosfera das antigas viagens sobre trilhos. Com atrações artísticas e culturais que encantam os turistas, o passeio mostra um pouco das etnias que formam o Rio Grande do Sul, principalmente a italiana que predomina na região. A antiga estação foi inaugurada em 1919, e serviu a trens de passageiros de linha regular até os anos 70. Após a desativação, houve uma tentativa inicial para uma linha turística maior do que a de hoje. Mas somente na década de 90 é que surgiu a ideia da volta da Maria Fumaça que hoje é um dos grandes atrativos da serra gaúcha. Sempre bem pintado e cuidado, o antigo prédio segue um padrão arquitetônico utilizada em boa parte da malha ferroviária ao longo do século XX. Dentro desta bela construção, uma maquete mostra sua visão geral para que seja possível ser admirada de modo mais prático. Mas o melhor mesmo é andar por sua plataforma de embarque para sentir as emoções das idas e vindas de outros tempos…

Para viajar no embalo deste trem, tu podes comprar o passeio neste link aqui.


Uma charqueada em Pelotas


São João é o nome da sede desta propriedade rural, às margens do arroio que dá nome a esta cidade do sul. Aberto atualmente para visitação, o lugar fez parte do marcante ciclo econômico do charque na região. Por mais de cem anos a carne do gado dos pampas foi salgada nas charqueadas, para que se conservasse melhor em uma verdadeira indústria dos séculos XVIII e XIX. Tudo isso, por meio de mão-de-obra escrava utilizada de forma intensiva que se dedicava entre outras atividades a preencher extensos varais de madeira com os cortes de bois e vacas, para que secassem ao sol.  O passeio à casa principal de paredes alvas e portas de madeira escura pode ser completado com a navegação no arroio que leva ao canal de São Gonçalo e por onde deslizavam as pelotas. O termo em espanhol que significa bolas era designado a uma espécie de bolsa de couro que flutuava na água, usada para transportar o charque que enriqueceu seus empreendedores e embelezou a cidade com teatros e palacetes. Visitar este e outros empreendimentos semelhantes na região é conhecer um pouco mais daquele rico passado do pampa. 


Rio das Antas – A ponte. E o túnel do trem…


Dividindo Bento Gonçalves e Veranópolis a Ponte Ernesto Dorneles sobre o Rio das Antas é uma das grandes obras de engenharia do Rio Grande do Sul, e uma das maiores pontes em arco do mundo. Aberta o tráfego em 1952  seu elegante formato chama  a atenção dos que passam por ali em ambas as direções. Mas quem enfrenta as sinuosas curvas que antecedem a belíssima travessia, talvez não conheça outra interessante estrutura bem ali perto… A saída de um túnel ferroviário na margem esquerda do rio é um lugar que merece atenção pela aura de mistério que ronda este outro tipo de obra. Abaixo do símbolo da engenharia do exército gravado na parede está a infinita escuridão e sua sensação de medo… Afinal, a luz do fim só é acessível aos condutores dos poucos trens de carga que ainda circulam por ali. Chegar até a boca é fácil, mas é claro que se aventurar escuridão adentro seria uma proibitiva imprudência…




Torres e árvores do sul – II Garibaldi


Uma série com 4 postagens com torres de igrejas de uma parte da serra gaúcha, acompanhadas de árvores depenadas com o fim do inverno, floridas para a primavera ou mesmo somente com suas folhas verdes e formas singulares. A Igreja de São Pedro de Garibaldi construída em 1924 aparece aqui acompanhada dos galhos desfolhados no canteiro da Rua Dr. Carlos Barbosa que passa ao seu lado, em um emaranhado que parece subir pela torre da nave principal… Há outras árvores no entorno, principalmente na praça do outro lado, mas esses outros ângulos e olhares, nós deixamos para vocês. Convidando ainda a apreciar o interior desta igreja, que é um dos mais belos daqui do sul e do qual ainda mostraremos mais. Esta série já falou sobre Carlos Barbosa, faltando ainda Veranópolis e Cotiporã.

A impactante Cascata dos Três Monges


Que fica em Veranópolis na serra gaúcha. Uma esbelta queda sobre um paredão vertical que pode ser vislumbrada em toda a sua plenitude, a partir de um mirante que avança sobre o vale. A sensação de medo que se tem ao se olhar para fundo dele, é tão forte quanto à emoção de ver e escutar a água despencando sobre rochas escuras. O lugar fica em uma propriedade particular, onde para entrar basta abrir um portão, tomando o cuidado de fechá-lo para que as vacas não fujam… A apenas 6 km de distância da praça central da cidade, sendo 2 de estrada de chão, o lugar é mais uma grata surpresa da nossa natureza exuberante. O entorno da vista com a sombra de suas árvores completa um convidativo ambiente para momentos de paz e contemplação. Em mais um lugar que pode muito mais…