Paisagens e lendas da Lagoa dos Barros

Vista por muitos, “conhecida” por poucos. Assim é mais esta Lagoa do Litoral Gaúcho, que fica às margens da principal rodovia que liga Porto Alegre às praias de mar. E pela Free-way, passam milhares de carros durante o verão com veranistas que inevitavelmente apenas visualizam suas águas e a paisagem do entorno. Sem muitas vezes saber que ela possui um balneário com direito a salva-vidas e um bar… Localizada nos territórios de Osório e Santo Antônio da Patrulha, é neste último município que está a praia de águas calmas, onde fizemos as imagens. Mas seu “litoral” se estende ainda por boa parte deste lado leste. A paisagem dos morros ao lado e dos cataventos para geração de energia eólica do outro lado da lagoa, presenteiam o banhista que procura algo a mais além da retilínea geografia das praias marítimas próximas dali. Mas este lugar tem muito mais. Principalmente no imaginário dos que habitam ali e de seus frequentadores eventuais, incluindo modernos esportistas praticantes de kite-surf. Cidades submersas, redemoinhos perigosos, ligação subterrânea com o mar e o fantasma de uma noiva, são algumas das histórias contadas. A ventania corriqueira e algumas conchas nas suas areias, dão margem a estas lendas que desafiam a navegação e a ciência. Mas o que se diz da “noiva” se baseia em impactante história verídica que ocorreu em 1940, quando uma moça porto alegrense foi assassinada por um jovem decepcionado com o fim do namoro às vésperas do casamento. O corpo encontrado no fundo lodoso das suas águas, estava amarrado a tijolos e foi resgatado. E desde então sua alma penada tem sido vista em aparições regulares, inclusive na estrada a pedir carona… Com oferendas de brincos e anéis sendo dadas em respeito à sua memória… Um lugar fascinante por suas belezas. Sejam elas bem reais e vistas por todos, ou que fazem parte das histórias contadas por aqueles que juram que elas aconteceram…


Uvas na Serra

O verão para aos gaúchos é tempo não só de praia e mar. Nos altos montes da região de imigração italiana, as longas fileiras dos parreirais, já estão repletas de uvas de variados tipos. Das mais simples para se fazer um bom suco ou uma saborosa geleia, até as espécies mais elaboradas. Estas cultivadas com esmero por profissionais que as utilizarão para elaboração de refinadas marcas de vinhos. Ao menos é isso que ocorre em boa parte do Vale dos Vinhedos em Bento Gonçalves, mas também em outros lugares especiais da região. Passear por estas magníficas paisagens e provar da fruta é um programa imperdível, que inclui até mesmo a possibilidade de se passar pela experiência de colher formosos cachos. Além de degustar os vinhos que são feitos dela é claro.  Muito mais do que a vivência gastronômica e etílica, traçar as rotas que cortam o lugar é também se surpreender com seus encantos. Sobretudo quando o dia brinda o visitante com a deslumbrante luminosidade de um fim de tarde mais do que especial.

Arambaré em Preto e Branco

Por que nem sempre tem sol, algumas imagens ficam interessantes com esta proposta fotográfica. Foi o caso de uma passagem nossa por esta bela praia da Laguna dos Patos, quando o sol insistiu em se esconder atrás das nuvens. Arambaré com suas grandes figueiras próximas a areia, além de outras árvores na faixa de praia, é um lugar ideal aos que procuram a calma da Costa Doce como alternativa ao agito das praias marítimas. O descanso merecido e a tranquilidade principalmente para famílias com crianças pequenas, podem ser desfrutados com ou sem a presença do astro rei. E nestes dias de cores mais opacas as paisagens da região podem ganhar brilho com a variação de tons de cinza. Ao menos na visão de um fotógrafo que pretende usar a criatividade para mostrar o que temos no sul. Enquanto não voltamos para captarmos imagens de radiantes dias de luz intensa, seja no verão ou em outras estações, mostramos este outro olhar. Que na nossa humilde opinião, trazem uma outra forma de mostrar a beleza deste patrimônio natural. Afinal, a beleza não está somente nos dias de sol…

Um Caminho de Santiago gaúcho.

Tem-se falado e propagado muito a respeito de um itinerário dedicado a peregrinos na Europa, que culmina na cidade espanhola de Santiago de Compostela. Milhares de caminhantes em buscas espirituais diversas e inspirados na fé católica dos pioneiros, deixam suas pegadas entre um pouso e outro, ao longo de dezenas de quilômetros. Mas andar pacientemente apreciando o entorno e refletindo sobre a vida, deixou a muito de ser exclusividade do velho continente. Do outro lado do atlântico, inspirado em um outro santo de outro lugar, há também um roteiro. E que roteiro! Recheado de magníficas paisagens do litoral norte gaúcho a versão de Santo Antônio da Patrulha dizem ser muito parecida com o trecho final do principal trajeto europeu. Será? Não conhecemos as paisagens de lá, mas sabemos que em matéria de natureza, estes pagos têm muito a mostrar. E a região é especial neste assunto. Com dois trajetos que se juntam, um de 19 e outro de 12 km, as passadas se iniciam com o deslumbrante panorama da Lagoa dos Barros, vista a mais de 100 metros de altitude. Os campos sem fim do Pampa, que se inicia ao lado das águas que margeiam importante auto-estrada do sul, completam o quadro deste início estimulador. A medida que o peregrino avança em estradas de chão, vai encontrando sinalizações com mensagens espirituais e religiosas do santo padroeiro. E as paisagens vão mudando. Em altos e baixos em meio a propriedades rurais, o viajante passa a visualizar ao longe o início da serra gaúcha… E quando o cansaço finalmente começa a bater nos menos resistentes, a descida se oferece, e entre os ondulados campos, se descortina a cidade com seu antigo casario e a com igreja que recebe a todos no final. Uma experiência fascinante para buscar inspirações, ou apenas apreciar a riqueza natural, de uma região simplesmente fantástica!

A incrível Cascata do Garapiá

Um lago de águas verdes e cristalinas é o que espera os que se aventuram até a Cascata do Garapiá em Maquiné. Mas não é preciso tanta ousadia para aproveitar este lugar mágico. Um veículo simples e disposição para enfrentar estradas de chão, com pedras pelo caminho é o suficiente. Além de uma pequena caminhada por trilha bem aberta. O caminho até lá com suas estonteantes paisagens é um caso a parte que merece outra postagem. O ápice das visões idílicas acaba sendo na pequena, mas belíssima queda que despenca de uma parede de pedras, formando um lago em que um intenso tom esverdeado predomina. A moldura formada por rica vegetação do entorno ajuda a criar um ambiente para uma contemplação sem pressa, ou mesmo para o banho em suas águas límpidas e frescas. Uma experiência fantástica para recarregar as energias, ou simplesmente se convencer que a natureza em si, e principalmente a deste lugar, pode nos dar muito…

A Imponente estátua de Santo Antônio

Pois ela possui cerca de 20 metros de altura, e fica em Santo Antônio da Patrulha/RS. Cercada de igualmente altos eucaliptos, o santo carregando uma criança no colo mira ao longe esta histórica cidade de colonização majoritariamente açoriana. Para visita-lo é preciso ingressar no Parque da Guarda que ainda possui outras atrações de lazer, além de réplicas e exposições que remetem a ao passado e à cultura da região. Sua coloração branca do monumento, lhe confere uma atmosfera de paz e tranquilidade que se completa com o silêncio ao redor. Aos seus pés, em estátuas agora de tamanho real, um casal é abençoado pelo padre. Afinal de contas, o principal homenageado é tido com o santo casamenteiro. Completa o aconchegante ambiente, a réplica da primeira igreja da cidade, singelamente batizada de Capela do Amor. Um lugar para orar e refletir para os que tem fé. Mas também para pedir ao santo que ajude a encontrar a cara metade de cada um…

Uma igreja na paisagem da Serra do Mar

Esta fica na simpática Maquiné, e presta homenagem a Santo André Avelino, padre reformador italiano que viveu entre os séculos XVI e XVII. De singelos traços fica ainda mais bela se considerarmos a paisagem que a rodeia, tendo altos morros da Serra do Mar como pano de fundo. O bem cuidado gramado em frente e as palmeiras que margeiam o caminho de acesso a porta principal, completam o entorno natural. Que no verão ainda tem a companhia de arbustos floridos em um de seus lados. Pequenos quadros de concreto com desenhos formado por coloridos ladrilhos, dão um ar artístico ao entorno e esperam fiéis e visitantes com imagens religiosas e uma reprodução do próprio prédio. Com uma alta torre a lhe fazer companhia, o belo templo possui em seu interior pinturas delicadas e vistosos vitrais. Estes últimos mostram imagens celestiais, paisagens naturais (como as cascatas da região) além da imagem do padroeiro. No verão de 2018 fomos surpreendidos por um intenso ruído de andorinhas que se alojavam nas partes altas da nave principal, talvez imaginando ser o lugar algum tipo de caverna colorida. Mas recentemente as entradas laterais que se mantem abertas mesmo fora do horário de celebrações, foram contempladas com portas dotadas de tela, além das originas de madeira. Talvez para impedir a entrada de visitantes que não conseguem respeitar o silencio tão desejado para as preces e reflexões… Uma verdadeira preciosidade em meio a um vale de exuberantes paisagens. Dando a impressão que ela está no lugar certo…