Casa de Gomes Jardim

Onde tudo começou… Pois antes do 20, teve o 19 de setembro de 1835. E foi nessa noite e nesta casa localizada em Guaíba e de pé até hoje, que foi traçada a invasão de Porto Alegre pelos líderes Farroupilhas. A ação, se deu na madrugada seguinte, no dia “precursor da liberdade”  a 176 anos, quando 200 homens atravessaram o Lago Guaíba para botar o governo provincial a correr, às margens do arroio dilúvio na ponte da Azenha. Começou aí, uma saga de lutas que se estendeu por dez anos (ou ainda continua?). A casa onde morou Gomes Jardim (e onde veio a falecer Bento Gonçalves), pode ser visitada pelo menos por fora, e se apreciar cipreste do outro lado da rua, em cuja sombra podem ter sido discutidas as estratégias de combate. Por isso, a cidade que sempre foi considerada o berço da Revolução Farroupilha, este ano recebeu esta designação oficial. Um belo passeio perto da capital, para se sentir e se entender um pouco mais, daquilo que tanto orgulha os gaúchos.

Uma rua nossa para o mundo

Dizem que está sendo considerada a rua mais bonita…. do mundo. Pelo menos é o que mostra a reportagem (com direito a vídeo) publicada no jornal zero hora (veja em http://zerohora.clicrbs.com.br/zerohora/jsp/default.jsp?uf=1&local=1&section=Geral&newsID=a3486959.xml) . A beleza da Rua Gonçalo de Carvalho próxima ao centro de Porto Alegre, está na suas Tipuanas plantadas a mais de setenta anos. Estas árvores também enfeitam outras ruas nas proximidades (Rua Marquês do Pombal)  e são destaque ainda na rua principal de Santa Cruz do Sul. E talvez haja outros lugares em que estas ou outras árvores formem túneis verdes, como acontece ali. Mas quem está ganhando fama, é mesmo a rua entre os bairros Floresta e Independência. Mérito de seus moradores e do orgulho que divulgam no blog http://goncalodecarvalho.blogspot.com/ e de pessoas do mundo todo que se encantam com as imagens do lugar via Internet. O mais incrível é que ela está bem perto do coração de uma agitada cidade com mais de um milhão de habitantes… E longe dos grandes centros do mundo… Não dá para acreditar. Uma prova que a natureza ainda encanta, mesmo em meio a modernidade e urbanidade de prédios e shoppings (que aliás compõe boa parte dos poucos metros da rua). E que talvez não precise estar no dito primeiro mundo ou ser extremamente letrado, para valorizar e preservar a beleza e os valores humanos. Talvez, o ideal seja buscar a harmonia dos elementos naturais com o espaço construído, seja aonde for. E isso, a nossa Porto Alegre, capital de todos os gaúchos, pode se orgulhar por ser uma das cidades mais arborizadas do país. Quem sabe não seja também do mundo…. Depois da Gonçalo de Carvalho, não duvidemos mais de nada. E neste mês de setembro, sempre vale lembrar a velha sentença: “Sirvam nossas façanhas, de modelo a toda a terra.”