Três cascatas e uma lagoa no litoral

Essa é para quem já quer mergulhar neste feriado muito além da água salgada. Como sempre mostramos por aqui, o litoral norte do Rio Grande do Sul possui junto às montanhas, lugares fantásticos, que valem o passeio para fugir da maresia. As Cascatas do Garapiá (na foto acima), da Pedra Branca e da Borússia são um convite para um banho refrescante em águas cristalinas. Mas na Lagoa do Peixoto em Osório (mesma cidade onde fica a Cascata da Borússia) a calmaria de uma praia de água doce é um convite perfeito para as crianças brincarem com tranquilidade.  Com direito a vista da cidade com os cataventos (aerogeradores para captar a energia dos ventos) ao fundo. Como já falamos por aqui, chegar até as belíssimas Garapiá em Maquiné, e Pedra Branca em Três Forquilhas requer o percurso de tortuosas estradas de chão, recompensadas por paisagens de tirar o fôlego. O banho nestes lugares é experiência igualmente fantástica, podendo ser substituído por outros inúmeros pontos ao longo dos rios que as formam. Já na Borússia, a estrutura de um parque privado e a facilidade de acesso, proporciona mais um lugar que pede um dia de lazer em um momento em que o calor começa a dar as caras no sul. E na região há muito mais natureza para ser aproveitada, além é claro da imensidão das praias de mar…

Cascata da Pedra Branca

Antes de chegar na Pedra Branca

Prainha da Lagoa do Peixoto

Vista de Osório a partir da Lagoa do Peixoto

Corredeiras perto da Cascata da Borússia


Cascata da Borússia (há outras menores no entorno)



O incrível Litoral Norte gaúcho.

500 anos de Luteranismo e seu legado aos gaúchos


Eles estão fazendo 500 anos de história de um movimento que começou na Alemanha. Os Luteranos que questionaram algumas posturas da igreja católica espalharam sua fé pela Europa e pelo mundo. E é claro que os imigrantes germânicos que para cá vieram trouxeram esta fé na modesta bagagem. E os lugares para o seu culto foram sendo erguidos em toda a colônia, deixando um legado de arte e beleza, que muitas vezes rivaliza com os antigos templos construídos pelos católicos. São tantos os exemplos desta arquitetura, que seria preciso um livro para mostrar este incrível patrimônio. Uma das mais antigas obras desta instituição é a da São Sebastião do Caí erguida em 1895, e que como muitas outras espalhadas pelo sul, está comunicando a passagem dos cinco séculos da reforma de Lutero. Fica aqui nossa homenagem, aos que com sua fé e profissão de bondade, deixaram pra nós maravilhosos presentes…


Antigas Estações de Trem – Montenegro


Mais uma estação com uma bela arquitetura utilizada para a realização de eventos culturais. Restaurado em 2006, o lugar ficou abandonado desde o fim da passagem dos trens de passageiros por ali na década de 70. Quando em funcionamento fazia parte desde sua inauguração em 1909, de uma linha que ligava Porto Alegre a Carlos Barbosa depois ampliada a Caxias do Sul. Em um segundo momento na década de 30, passou também a receber os trens que iam à fronteira com a Argentina em Uruguaiana, se estabelecendo como importante ponto de passagem. Atualmente, seus espaços internos são usados para exposições, palestras e demais atividades culturais. Já o amplo pátio externo por onde circulavam os vagões é lugar ideal para momentos de lazer da população local bem como dos que visitam a cidade. Sua pintura atual bem conservada valoriza suas formas e dá uma característica alegre a um lugar que já viveu muitas histórias de partidas e chegadas. Muitas delas recheadas de emoções que parecem estar ainda vivas por ali… 


Cascata Vitória em Maratá


Um imenso paredão vertical que parece recortado à mão. É por onde despenca a Cascata Vitória em Maratá, em um lago onde é proibido nadar. Mas e quando chegar o verão? E o romântico banho de cachoeira? Nem tudo é perfeito… Mas natureza não é? Depende. Digamos que ela não seja totalmente equacionada para atender o cliente… Ali nessa cidade do vale da felicidade, a proximidade da queda e a irregularidade do fundo podem trazer surpresas desagradáveis. Mas o riacho que se segue ao poço, ou mesmo a parte de cima da queda, são convidativos ao banho (permitido), ou mesmo a simples contemplação. A energia da água da Vitória que hoje é admirada por sua beleza, já foi transformada em eletricidade no começo do século passado, por uma usina ali instalada. Mas alternativas vieram e a economia fez suas escolhas, desativando o antigo empreendimento local. No seu lugar, um parque com bar, churrasqueiras e outras estruturas adequadas, foi erguido para receber aqueles que sabem que a natureza pode não ser perfeita, mas é recheada de surpresas muito agradáveis… 


Uma ponte misteriosa


Ao menos para nós, até agora. Esta ponte ferroviária com bela estrutura sobre o Rio dos Sinos em Canoas, ao que se pode apurar é antiga. E deve ser da época em que foi lançada a linha entre Porto Alegre e Barreto (distrito de Triunfo) em 1938. Mas mais informações não há em uma primeira pesquisa na internet. Por ela, ao que tudo indica, ainda passam os remanescentes trens cargueiros, que circulam sobre os trilhos que sobraram. Mas é claro que muitos passageiros já passaram por ali, e puderam apreciar além da vista de um dos principais rios do sul, uma visão privilegiada de Porto Alegre. Eram tempos de outros caminhos, onde viajar para a maioria, era sinônimo de locomotivas e vagões. Nos últimos anos esta interessante obra de engenharia parece ter sido redescoberta pelos que passam pela Rodovia do Parque de onde pode ser avistada. Mas ainda é preciso se aventurar em estradas de terra, para poder trazer imagens mais próximas de uma importante construção, um tanto esquecida. Tens mais informações do lugar? Conte pra gente. Seguiremos pesquisando pra trazer mais pra ti.


Uma alegre festa germânica


Mais precisamente de Munique, mas que aqui no sul se espalhou… Depois de Santa Cruz do Sul, é a vez de Igrejinha receber a Oktoberfest, ou a festa de Outubro. O parque da cidade se anima com as bandas típicas e seus alegres ritmos a embalar as gentes de todas as idades. Não faltam vestidos floridos a rodar ao som dos trompetes soprados muitas vezes por senhores de cabelo branco e face rosada, que tentam passar a tradição aos mais novos. Mas é também nas ruas que o clima que reverencia as origens germânicas toma conta, preenchendo os espaços públicos com o amarelo, o vermelho e o preto da pátria mãe. Os desfiles temáticos são um complemento da euforia, ao mostrar como através do trabalho árduo se consegue a tão almejada saúde e qualidade de vida. Que está estampada no rosto de cada um dos habitantes deste pequeno município, que vai erguer muitos canecos de chopp nestes dias de primavera para celebrar a vida.


Paisagens do Vale do Cadeia


Extensas planícies acompanhadas de morros altos indicam que se está perto da serra gaúcha ao chegar ao distrito de Joaneta, no interior do pequeno município de Picada Café. É por ali que o Arroio (ou rio) Cadeia serpenteia férteis plantações, depois de rasgar a mata nativa predominante nas encostas íngremes. Percorrer as estradas vicinais da região, algumas delas asfaltadas, proporciona ao observador atento visões de uma natureza exuberante de rara beleza. As escarpas e paredões aparentes nos morros complementam o conjunto ideal para a produção de belas imagens. Mas é do alto do Morro do Vento, bem próximo ao centro de Picada Café, que se tem um panorama de Joaneta e de boa parte do vale. O lugar é um ponto novo da prática das diferentes modalidades de voo livre, e ideal para poder apreciar tudo o encantamento desta região. Percorrer seus caminhos, seja na planície ou nas subidas do entorno, é uma experiência que precisa ser vivida. Para entender porque vários recantos do sul, podem muito mais…