A pista que não chegou

Nas andanças desta vez pela zona norte da capital gaúcha, o GPS sugeriu a Vila Dique como atalho para chegar a mais um lugar onde aportaram uns de além-mar. Desta vez executivos indianos… E lá fui, em meio ao trânsito pesado e as casinhas. Ou que sobrou delas para dar passagem aos aviões que ainda não chegaram. A via construída sob o sistema de proteção contra cheias da cidade, foi atraindo moradores um tanto humildes que formaram uma comunidade onde, aparentemente e infelizmente, a saúde e a educação passaram longe ao longo das últimas copas. A remoção começou antes da bola rolar na África do Sul, mas a ampliação da pista do Aeroporto Salgado Filho não deve terminar antes que seja erguida a taça do campeão no Brasil. . E assim vamos… Como tudo, as vezes não dá para fazer da forma que queremos. Ainda mais do jeito que todo a turma quer. Se faz uma parte, se começa outra, se complica uma terceira… Não há concordância em tudo por que são muitas cabeças a decidir e a opinar, mas algo acaba nascendo. Do jeito que dá. Com suas consequências e resultados nem sempre previsíveis. Afinal, quando o juiz apita e a bola começa a rolar tudo pode acontecer. Seja em um jogo de futebol. Seja na vida.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s