A Figueira da Paz e o descanso da índia

Talvez ela tenha se despedido ainda em vida de seus filhos e netos, que a deixaram descansar em paz… Debaixo de uma já antiga figueira. Não se sabe ao certo. Apesar de alguns afirmarem com convicção, que uma índia da tribo Arachane de nome Justa deu seu último suspiro na hoje denominada Figueira da Paz, em Arambaré. E há até mesmo, quem tenha visto sua alma vagando por lá… Também não se tem certeza da idade exata da árvore, que segundo estudos teria mais de 400 anos de vida. O suficiente para acompanhar a tradição dos índios de deixar seus mortos por ali, e ver a chegada dos primeiros fazendeiros açorianos nos idos de 1763. Com o tempo cresceu a cidade com suas casas e moradores, e por fim as pousadas com veranistas e turistas a se jogarem nas calmas águas da Lagoa dos Patos. E também desfrutarem da sombra dos 50 metros de diâmetro, da que é considerada a maior árvore de sua espécie cadastrada no estado. Um lugar para reverenciar a paz. E a história dos que já vagavam por estas terras em séculos passados.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s