Os planos da revolução na sombra do cipreste

Foi embaixo desta árvore, que Bento Gonçalves  seus comandados definiram as últimas ações a serem executadas na madrugada de 20 de Setembro de 1835. Em frente à casa de Gomes Jardim em Guaíba, os revolucionários planejaram a tomada de Porto Alegre dando início a festejada Revolução Farroupilha. A guerra contra as forças leais ao império duraria longos dez anos e deixaria um rastro de sangue, sequelas, mas sonhos. E nem todos frustrados. A paz selada que muitos interpretam como derrota, semeou os ventos da República que tomaria conta do país 4 décadas depois. Além de seguir sendo lembrada como um exemplo de coragem e ousadia dos que queriam mais. Dos que lutaram por aquilo que achavam justo. Os elementos culturais desta empreitada seguiram vivos através dos anos, sendo posteriormente incrementados e cultivados principalmente no século XX, para enaltecer a figura do gaúcho. E as raízes desta gente se confundam nas celebrações atuais, com o sonho de criação de uma nação que insiste em existir. Ao menos em seus símbolos…. 


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s