Um passo do inferno


Em outros tempos, tropeiros e suas mulas e cargas, singravam campos entre o sul e o centro de um país ainda selvagem e carente de caminhos mais formais. Os passos, ou locais de passagem em um curso d, água, eram até o começo do século XX, a solução para a transposição de rios. E as agruras de se atravessar um fileira de homens e animais, muitas vezes acabava em perdas e tragédias. Talvez seja por isso que no começo do Rio Santa Cruz entre Canela e São Francisco de Paula, um lugar no limite entre a serra e os campos de cima da serra, tenha sido nomeado como Passo do Inferno. Mas a coragem desprendida na necessária travessia para dar seguimento o transporte e o comércio entre regiões distantes, resistiu por muitos anos ao temido ambiente. E a compensação por tantas perdas acabou por vir com a construção em 1933 e 1934, da ponte de ferro que trouxe a modernidade para a região. E o local escolhido acabou conjugando a praticidade com a beleza da cascata, facilmente avistada por os que atravessam a ainda firme estrutura. Um lugar incrível, que foi inclusive cenário de produções artísticas…



Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s