As muitas histórias do povo gaúcho no Museu Júlio de Castilhos.

Scroll down to content

O Museu Júlio de Castilhos no coração do Centro Histórico de Porto Alegre, possui um acervo riquíssimo e tem passado por constantes reformulações. Localizado onde morou este importante político que governou o estado a mais de cem anos, possui objetos que contam a trajetória dele e de sua família. Idealizador da constituição estadual de 1891 e admirador das ideias positivistas as quais buscou por em prática com mão-de-ferro no Rio Grande do Sul, acabou morrendo entre estas paredes após cirurgia para remoção de um tumor na garganta. A cama, exposta no museu, que até poucos anos se dizia ser o seu leito de morte, descobriu-se há pouco tempo ter outra origem. Ela era na realidade de um quarto de hóspedes de Pedro Osório, que abrigava Júlio e a família quando viajavam a Pelotas. Mas há muito mais a apreciar por ali. O pátio de canhões possui algumas peças utilizadas na Revolução Farroupilha, com origem em embarcações que participaram de batalhas na Lagoa dos Patos. E outras riquíssimas trajetórias são devidamente valorizadas através de exposições relacionadas a Cultura Indígena e a presença das mulheres na história gaúcha. Os que aqui estavam antes da chagada dos europeus contribuíram com objetos com milênios de história, além da sua cultura mantida até os dias do hoje. O capítulo das Missões jesuíticas que buscava desenvolver uma civilização com características urbanas, que integrasse religiosos e nativos, também é destacada incluindo-se aí belas estátuas esculpidas em madeira, com mais de dois séculos. Já as mulheres são mostradas em suas diferentes condições sociais e econômicas, com espaço para as lavadeiras da beira dos rios, as damas ricas que só cuidavam do lar e as intelectuais que escreviam suas ideias e sonhos. Algumas personagens ganham destaque com Odila Gay da Fonseca, que socorreu flagelados da enchente de 1941, Luciana de Abreu, primeira oradora mulher do Partenon Literário, ou mesmo a escrava Joana que comprou sua liberdade, e outras personagens marcantes. Uma história tão rica que fica difícil sintetizar, mas que está devidamente enfatizada no acervo fantástico deste museu que tem muito mais pra ti mostrar…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: