No coração da portuária cidade de Rio Grande, no sul do Rio Grande do Sul, o antigo prédio da Alfândega possui algumas surpresas para quem não fica apenas do lado de fora. A parte dele que não é usada para atividades da Receita Federal, pode ser visitado para apreciar e entender sua história e da cidade onde está situado.

Ao entrar pela porta que fica próxima à placa que fala sobre sua construção em 1879, se vislumbra logo a recepção com suas belas estruturas e arquitetura que remete há mais de 100 anos. No seu teto, esculpida na pedra estão interessantes desenhos que fazem referência a países europeus. Ao lado, uma porta dá acesso a uma sala normalmente utilizada para eventos, mas com o intacto requinte dos primeiros anos. É lá, que um busto do imperador Dom Pedro II, fica logo acima a um marcante relógio de parede que teria pertencido ao monarca. Inclusive, foi no seu reinado, que o prédio foi erguido para ser uma estrutura para arrecadação de impostos no já movimentado porto… O belo pátio interno completa a visita deste lado, possibilitando um refúgio em meio ao movimento do centro da cidade.

Mas é na face oposta a esta entrada principal, que se pode entrar em um outro lugar mais do que especial… Afinal, o Museu Municipal que tem sede ali, nos chamou a atenção não só por seu rico acervo, mas também por sua bem-organizada e moderna estrutura. Com o uso de tecnologias contemporâneas, como alto falantes onde se pode ficar em baixo, para ouvir descrições e informações da que se vê, o lugar é uma agradável viagem na história da cidade. Estão lá desde os ambientes domésticos como salas e quartos das antigas residências, até mesmo objetos encontrados em escavações, e que teriam pertencido a povos que viveram antes da chegada dos primeiros portugueses.

Um interessante painel que é cópia de um desenho que está na Biblioteca Pública da cidade portuguesa de Évora, mostrando a Rio Grande do século XVIII, e linhas do tempo explicativas, ajudam a entender um pouco mais da trajetória da região. Assim como interessantes objetos da grande diversidade de indústrias que fizeram parte da economia local, principalmente durante o século XX. Fotos e textos, deste que é principal e maior setor do museu, mostram que a cidade possuiu fábricas de diversos setores que foram influentes no estado e no Brasil. Até mesmo uma companhia aérea local, que voou pelos seus gaúchos, tem sua história, incluindo um grave acidente em 1950, contada ali…

O lugar que voltamos para explorar mais uma vez neste 2022, desta vez superou nossas expectativas, principalmente com o acervo deste museu tão bem valorizado. Conhecer, além dos hábitos urbanos de outros tempos, interessantes e por vezes curiosas histórias da indústria e do comércio foi uma grata surpresa… Deixando claro mais uma vez, que temos muito a aprender sobre nós mesmos, ampliando cada vez mais a nosso compreensão como comunidade…

Quer fazer passeios no Rio Grande do Sul, ou adquirir ingressos para várias atrações da Serra Gaúcha, ou mesmo reservar um hotel em qualquer lugar? Então clique no botão abaixo e escolhe o que fazer com empresas parceiras, e venha para os destinos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: